11 (2).jpg

Nossa História

Fundado em 22 de janeiro de 1967, como uma associação civil sem fins lucrativos, denominado como Lar do Menor Abandonado, o LARMENA tinha por objetivo conceder abrigo para crianças e adolescentes do sexo masculino de 07 a 18 anos e desempenhava suas ações pautadas no antigo Código de Menores.

A Instituição foi criada através de doação do espaço físico existente, antes (1937) pertencente ao Asilo Agrícola Dom Daniel, tendo como Presidente de Honra o Dr. Felippe Immesi; Presidente Guilherme Albino de Almeida Cyrino; Secretário geral Jair Rocha Vieira; Secretária D. Edna Faria Rocha e Tesoureiro Rolando de Souza e como seu diretor presidente o abnegado Comendador Horácio Casarões, de origem portuguesa, condecorado pelo governo de Portugal com a mais alta insígnia que se pode conceder a uma pessoa por serviços prestados aqui no Brasil.

Muita coisa mudou desde a sua criação (1967), com a promulgação de novas leis de proteção e prioridade no atendimento a crianças e adolescentes (1990) que vêm evoluindo paulatinamente. Para tanto hoje a instituição é administrada conforme prevê o Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA, como Unidade de Acolhimento Institucional. Oferece acolhimento temporário a Crianças e Adolescentes do sexo masculino de 07 a 18 anos, vítimas de abandono, violência e outras formas de negligência, encaminhadas pelo Conselho Tutelar e Judiciário.

Com sede e foro no Município de Conselheiro Lafaiete, estado de Minas Gerais, à Rua Doutor Zebral, nº 979, bairro Museu, a instituição busca oferecer aos acolhidos os cuidados necessários ao desenvolvimento sadio destes através de um ambiente familiar, segurança, conforto e qualidade de vida. As crianças e adolescentes acolhidos frequentam escola regular, participam de atividades de lazer e ações junto à comunidade, cursos profissionalizantes disponibilizados no Município, dentre outros. A unidade proporciona ainda às crianças/adolescentes e seus familiares, serviço especializado através de uma equipe técnica composta por uma psicóloga e uma assistente social.

A manutenção da unidade se dá via doações da comunidade captadas pelo setor de tele doações de pessoas físicas e jurídicas, pela organização de eventos direcionados à comunidade e também por recursos do Fundo da Infância e Adolescência de Conselheiro Lafaiete, repassados conforme projetos aprovados pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - CMDCA.